Prévia da inflação vai a 0,3% em janeiro; em 12 meses, é de 3,77%

Fonte: UOL

IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), subiu 0,3% em janeiro, após ter ficado negativo em 0,16% em dezembro.

O resultado é o menor para janeiro desde a implantação do Plano Real, em 1994. Nos últimos doze meses, o índice acumula alta de 3,77%, abaixo dos 3,86% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2018, a taxa foi de 0,39%. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (23).

Alimentação

Os preços de alimentação e bebidas tiveram a maior variação em janeiro (0,87%). Entre os destaques de alta estão:

  • frutas: +6,52%
  • carnes: +1,72%
  • cebola: +17,5%
  • batata-inglesa: +11,27%

Transportes

A redução no preço da gasolina contribuiu para que o grupo dos transportes tivesse a maior queda neste mês (-0,47%).

Registraram quedas:

  • gasolina: -2,73%
  • etanol: -1,17%
  • óleo diesel: -3,43%
  • passagens aéreas: -3,94%

Por outro lado, subiram as tarifas dos ônibus interestaduais (2,63%), dos ônibus intermunicipais (1,12%) e dos ônibus urbanos (1,04%).

Juros X Inflação

Os juros são usados pelo BC para tentar controlar a inflação. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar a queda dos preços. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo.

Em dezembro, o Comitê de Política Monetária do BC decidiu manter a taxa de juros em 6,5% ao ano, no menor nível da história (o Copom foi criado em 1996).

Metodologia

O IPCA-15 refere-se às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, considerada a inflação oficial; a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

(Com Reuters)

Por que a inflação no nosso bolso parece maior do que a inflação oficial?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s