EUA pedirão formalmente extradição de executiva da Huawei ao Canadá, diz embaixador a jornal

Fonte: ÉPOCA

Prazo para apresentar a solicitação é no dia 30 de janeiro – 60 dias depois da prisão de Meng em Vancouver
Huawei (Foto: Jaap Arriens/NurPhoto via Getty Images)(Foto: Jaap Arriens/NurPhoto via Getty Images)

Os Estados Unidos irão prosseguir com a extradição formal da executiva Meng Wanzhou, da empresa chinesa de tecnologia Huawei, que foi presa pelo Canadá, afirmou o embaixador canadense nos EUA, David MacNaughton, ao jornal Globe and Mail.

Em reação, a China prometeu responder às ações de Washington.

MacNaughton, em entrevista ao jornal canadense publicada na segunda-feira, disse que os Estados Unidos disseram ao Canadá que irão solicitar a extradição de Meng, mas o embaixador não disse quando o pedido será feito.

O prazo para apresentar a solicitação é o dia 30 de janeiro, 60 dias depois da prisão de Meng no dia 1º de dezembro em Vancouver.

Meng, filha do fundador da Huawei Technologies , Ren Zhengfei, foi presa a pedido dos Estados Unidos por supostas violações de sanções norte-americanas contra o Irã. Ela foi solta mediante pagamento de fiança no mês passado e tem uma audiência marcada em Vancouver no dia 6 de fevereiro.

As relações entre a China e o Canadá têm se desgastado após a prisão, com Pequim detendo dois cidadãos canadenses e condenando à morte um canadense anteriormente considerado culpado de tráfico de drogas.

A China não relaciona nenhum dos casos dos três canadenses à prisão de Meng, mas tem advertido sobre graves consequências se ela não for imediatamente liberada. Diplomatas do Ocidente e ex-diplomatas canadenses têm dito não ter nenhuma dúvida de que os casos estão relacionados.

A Huawei, a maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo, disse não ter comentários sobre procedimentos legais em andamento, em resposta a solicitação de comentário feita pela Reuters nesta terça-feira. Um porta-voz do Departamento de Justiça dos EUA disse: “Nós iremos comentar através de nossas petições”.

O Departamento de Justiça do Canadá não respondeu de imediato a pedido por comentário feito fora do horário normal de funcionamento.

O Ministério de Relações Exteriores da China reiterou, nesta terça-feira, o pedido pela liberação imediata de Meng e disse que o caso da executiva claramente “não é um caso judicial normal”.

Qualquer um com bom julgamento determinaria que o Canadá cometeu um “grave erro” nesta questão, disse a porta-voz do ministério Hua Chunying durante coletiva de imprensa.

“O Canadá e os Estados Unidos arbitrariamente abusaram de seu tratado de extradição bilateral para violar gravemente a segurança e os direitos legais de uma cidadã chinesa”, disse Hua.

A China “pede veementemente” que os Estados Unidos corrijam o seu “erro”, cancelem a ordem de prisão contra Meng e não façam o pedido formal de extradição, acrescentou.

Questionada se a China irá retaliar se Meng for extraditada, Hua disse, “A China irá, claro, responder às ações dos EUA”. Ela não entrou em detalhes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s