Amazon: por que a gigante da tecnologia queima ou joga no lixo milhares de produtos novos

Fonte: BBC

Depósito da Amazon na FrançaGetty Images
Programa denuncia que a Amazon destruiu 300 mil produtos novos em três meses

É difícil imaginar que produtos novos em perfeitas condições, que custam mais de US$ 100, sejam jogados no lixo.

Mas a verdade é que diversos itens – como brinquedos, livros, cafeteiras e até mesmo fraldas – que não são vendidos pela Amazon acabam sendo incinerados ou descartados em grandes depósitos de lixo na França, conforme mostrou o programa Capital, do canal de televisão francês M6.

O programa divulgou imagens gravadas com uma câmera escondida por um jornalista que se infiltrou, disfarçado de funcionário, em um dos cinco depósitos da gigante americana do comércio eletrônico no país europeu.

Embora a prática seja legal, foi duramente criticada.

“É uma aberração ecológica, econômica e social”, disse Guillaume Cahour, jornalista que liderou a investigação, à BBC.

“Se os produtos não são vendidos, a Amazon oferece aos vendedores duas opções: ou eles retiram as mercadorias ou são destruídas.”

Segundo Cahour, a equipe tem evidências de que essa situação se repete em outros países, como Estados Unidos e Reino Unido.

O programa informou que 300 mil produtos novos foram destruídos em três meses, mas a Confederação Geral do Trabalho (CGT, na sigla em francês) estima que esse número pode chegar a três milhões em um ano.

O que diz a Amazon?

A Amazon afirmou que faz todo o possível para reduzir o número de produtos que devem ser devolvidos a fornecedores externos.

“Para produtos que não podem ser revendidos, trabalhamos com organizações como a Solidarity Giving e o Food Bank para que sejam entregues a pessoas que necessitam.”

Caixa da AmazonGetty Images
A Amazon argumenta que está trabalhando com organizações sociais para doar produtos que não podem ser revendidos

Outro argumento da empresa é que o destino dos produtos é de responsabilidade dos fornecedores que utilizam a plataforma para vendê-los.

Analistas do setor indicam que tampouco é financeiramente viável para a Amazon doar todos os produtos, já que a empresa teria que arcar com os impostos por doação.

É ‘mais barato’ se desfazer

De acordo com a investigação jornalística, os fornecedores se desfazem dos produtos por causa do alto custo para mantê-los nos depósitos da Amazon e porque não é conveniente para eles devolvê-los a seu país de origem.

É o caso de um vendedor da China, que confirmou ao programa que esse tipo de situação se repete em diferentes cidades do mundo.

Imagem de vídeo gravada pelo progama 'Capital'
O programa de televisão ‘Capital’ mostrou imagens gravadas por um repórter disfarçado em um depósito da Amazon

O paradoxo é que, embora pareça estranho, seria mais barato para a Amazon se livrar dos produtos do que tentar revendê-los ou doá-los.

O jornalista registrou imagens mostrando como os funcionários jogam caixas de Lego fechadas ou pacotes inteiros de fraldas em latas de lixo.

O programa também divulgou imagens gravadas por drones que mostram produtos que vão parar em incineradores ou aterros sanitários.

Reação do governo

Horas após o programa ser exibido, Brune Poirson, secretária de Estado do ministro da Transição Ecológica e Inclusiva, disse estar “chocada” com a denúncia e acrescentou que o Parlamento aprovará uma lei para proibir esse tipo de conduta.

“Empresas como a Amazon não serão capazes de descartar produtos que ainda possam ser usados”, afirmou Poirson, argumentando que qualquer plataforma de vendas deve “assumir a responsabilidade pelo destino dos produtos que oferece”.

Cartaz da Amazon sobre produtos eletrônicos jogados no lixoGetty Images
Organizações ambientais denunciaram a Amazon em novembro por não reciclar eletrônicos com defeito

A Amazon enfrentou acusações semelhantes na Alemanha, onde a imprensa local informou no ano passado que grandes quantidades de produtos – de telefones celulares a refrigeradores – eram rotineiramente destruídos.

Na França, a empresa foi acusada por organizações ambientais, em novembro passado, de descartar artigos eletrônicos defeituosos e não implementar políticas de reciclagem.

Enquanto isso, o governo de Emmanuel Macron está promovendo uma proposta para que a União Europeia aplique um imposto sobre os ganhos de gigantes da tecnologia como a Amazon, uma vez que grande parte de sua receita é gerada nessa região.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s