Petrobras manda embora todos os diretores indicados no governo do PT

Fonte: G1

RIO  –  A saída de Solange Guedes da diretoria de exploração e produção da Petrobras representa o fim de um ciclo na companhia.

Menos de uma semana após tomar posse, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, já mudou quatro dos sete diretores da companhia e dispensou todos os remanescentes da gestão Aldemir Bendine.

Segundo uma fonte, a troca de cadeiras é uma tentativa de Castello Branco de tirar de cena todos os executivos que ascenderam ao longo dos governos do PT e se dissociar completamente de qualquer passado petista.

>> Leia maisMonopólio no refino expõe Petrobras a críticas, diz Castello Branco

O novo presidente da estatal foi conselheiro da estatal entre 2015 e 2016, indicado pela União, durante o governo de Dilma Rousseff.

Funcionários de carreira da Petrobras, Solange Guedes, Jorge Celestino Ramos (ex-diretor de refino e gás) e Hugo Repsold Jr. (desenvolvimento da produção e tecnologia) foram alçados à diretoria da estatal no início de 2015, após a renúncia coletiva dos diretores comandados pela ex-presidente Graça Foster, em meio ao desgaste da credibilidade envolvendo o anúncio de uma baixa contábil no balanço de 2014, de R$ 88,6 bilhões nos ativos da companhia, referentes a sobrepreços.

O trio assumiu então de forma interina. A efetivação veio com a chegada de Bendine. Quando Pedro Parente assumiu a gestão da empresa, optou por preservar Solange, Celestino e Repsold na equipe.

>> Leia maisUnião deve pagar até US$ 14 bi à Petrobras por cessão onerosa

Os três passaram ainda pela presidência de Ivan Monteiro, colega de diretoria nas gestões de Bendine e Parente, e só agora se despedem, após quase quatro anos no cargo.

Em seu discurso de posse, na semana passada, Castello Branco disse que um ciclo se encerrava e uma “nova era se iniciava” sob sua gestão.

“As crises foram debeladas e sou grato a todos que participaram dessa reconstrução, principalmente meus dois últimos antecessores, Pedro Parente e Ivan Monteiro. Construiu-se sólida governança corporativa, rigorosas normas de ética e integridade foram implementadas e punidos os criminosos. A Petrobras retomou o acesso aos mercados financeiros e já registrou lucro contábil, embora não econômico. Um ciclo se encerrou. A Petrobras de hoje é muito melhor do que a de 2015. Escapou de ser rebaixada para a segunda divisão, mas ainda há muito o que fazer para ser uma campeã. Uma nova era se inicia”, discursou, na ocasião.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s