15 fatos chocantes que aconteceriam se todas as geleiras derretessem

Fonte: Mistérios do Mundo

Efeitos estranhos e assustadores…

15. Corpos congelados começarão a aparecer

15 fatos chocantes que aconteceriam se todas as geleiras derretessem

As temperaturas congelantes presente nas geleiras fornecem as condições perfeitas para a preservação de corpos humanos. Um bom exemplo disso é o Monte Everest, onde os corpos de alpinistas que morreram durante a escalada permanecem perfeitamente preservados até hoje.

Não só isso, ao longo da história onde pessoas morreram em climas como este, seus corpos começarão a aparecer quando o gelo derretia. Além do fator disso ser bem assustador, também representa outro risco enorme, pois muitos desses corpos podem ter doenças mortais como a praga ou o antraz, que é fatal se as pessoas acabarem entrando em contato com eles.

14. Os povos inuítes terão que se realocar 

Os Inuítes, que também são conhecidos como esquimós, são pessoas que habitam áreas do Ártico canadense. Ao longo dos anos, todas as suas tradições e modos de vida se formaram em torno do gelo do Ártico.

Se tudo derreter, os inuítes não só teriam que se mudar para outras partes mais quentes do mundo, mas também desistir da maioria de suas tradições que possuem quase um milênio de idade. A identidade cultural dessas pessoas depende em grande parte da vasta paisagem ártica. Com a crescente ameaça do aquecimento global nos tempos modernos, as coisas já não se parecem ótimas para os Inuítes, algo que eles resumem quando dizem: “Sem o gelo, não somos nada!”

13. O conhecimento de povos antigos será revelado

Os cientistas já estão descobrindo evidências de seres humanos antigos, como os neandertais que habitaram essas regiões geladas há milhares de anos. Não só isso, as coisas que faziam parte de sua vida em algum ponto também estão sendo reveladas.

Tudo isso se tornará ainda mais fácil, na verdade, podemos até chegar a descobrir sobre civilizações que nem sequer sabíamos que existiam. Afinal, quem sabe quantos outros segredos ainda permanecem enterrados sob todo esse gelo Há também o risco de doença e contaminaçã, uma vez que não conheceremos os tipo de vírus e bactérias que essas civilizações tinham, colocando em risco vida de quem entra em contato.

12. Londres e Veneza irão desaparecer bem como boa parte da Europa

Embora Veneza seja uma cidade famosa por conta da água, também é o que ameaça essa bela cidade que está sendo consumida lentamente pelo Mar Adriático. Isso, no entanto, acabará acontecendo muito mais rápido se todas as geleiras decidirem derreterem de repente.

Veneza ficará completamente submersa, mas esta não será a única vítima dentro da Europa nas mãos do aumento do nível do mar, na verdade, Londres também irá sumir e junto com toda a Holanda. Por outro lado, países como a Dinamarca também acabarão perdendo a maior parte de suas terras e isso resultará em milhões de pessoas que ficarão sem casas.

11. Terremotos irão devastar o mundo inteiro 

Parece que o aumento do nível do oceano não será o único desastre que enfrentaremos caso o infeliz derretimento das geleiras ocorra. Isso também significaria que haverá alguns terremotos bastante desagradáveis aconteceriam em todo o mundo.

Para entender esse conceito, o editor da Popular Science Australia, Anthony Fordham, gosta de usar a analogia de uma bola de ping pong com um dente nela. Este dente representa a pressão que é resultado da enorme camada de gelo que atualmente cobre a Antártida. Uma vez que ele se vá, a crosta do nosso planeta irá desabafar toda essa pressão, causando alguns grandes terremotos em todo o mundo. Não só isso, muitos dos vulcões ativos da região também irromperão, causando uma série de desastres em todo o mundo.

10. O caos e a inquietação civil iriam se desenrolar

Isto aconteceria em quase qualquer situação envolvendo um desastre natural. Devemos considerar o fato de que a submersão de todas as cidades costeiras causará um enorme problema de refugiados em todo o mundo.

Isso basicamente significa que muitos componentes cruciais da sociedade simplesmente deixarão de funcionar. Considere a cidade de Nova York e Londres, ambas são famosas por serem os centros financeiros do mundo ocidental e, infelizmente, ambas estarão completamente submersas. Isso causará enormes problemas e acabará com caos e agitação civil em todos os lugares. Segundo o Dr. Hal Wanless da Universidade de Miami, será bastante interessante ver como a civilização funcionará após essa cadeia de desastres.

9. Vírus adormecidos irão despertar

Certos vírus e bactérias são conhecidos como capazes de sobreviver a situações extremas, desde temperaturas abaixo de zero até a radiação no espaço. Muitos deles estão presos dentro das enormes placas de gelo da Antártida.

O único problema aqui é que atualmente desconhecemos o efeito que alguns desses podem ter nos seres humanos. É um fato bem documentado que nossa corrida com alguns desses agentes patogênicos não foi muito agradável no passado, onde populações inteiras foram exterminadas por uma determinada doença. Os cientistas já descobriram um vírus pré-histórico conhecido como o “Pithovirus”, que é bastante semelhante a alguns dos vírus mais perigosos que existem hoje. Um surto de doenças mortais quando todo o gelo derreter definitivamente deve ser esperado.

8. Os animais do ártico irão morrer

Enquanto algo como isso certamente soa coma ruína para nós de muitas maneiras, também deve se ter em mente que um ecossistema inteiro está prosperando por causa do gelo. Animais como o urso polar, pinguins e morsas exigem que o gelo ártico sobreviva.

Infelizmente, essas criaturas serão as primeira vítimas desse desastre. Os ursos polares que atualmente são os principais predadores da região morrerão deixando as baleias assassinas serem o novo símbolo do Ártico. A população de morsas também estará em problemas, uma vez que uma mãe se precisa ter seus filhotes no gelo. Muitos animais simplesmente serão extintos, enquanto outros terão suas populações significativamente reduzidas até o ponto em que estarão ameaçadas.

7. As temperaturas na Terra irão aumentar de forma lenta

Isso não deve realmente ser uma surpresa, mas você provavelmente deve esperar que o planeta fique muito mais quente uma vez que todas as geleiras derretam. Este é um resultado de algo conhecido como o efeito albedo.

Se você já tomou sol após a neve, notou que ele reflete muito mais luz solar do que qualquer outra superfície. Nossas placas glaciais polares fazem exatamente isso, mas em uma escala muito maior, dado o tamanho delas. Muita luz solar é refletida, o que contribui para manter a Terra um pouco mais fria, no entanto, uma vez que o gelo é substituído pela água, a luz solar não será refletida com a mesma intensidade. Na verdade, a água é muito pior  neste trabalho, pois pode absorver toda a radiação.

6. A Flórida irá desaparecer completamente

Sim, é melhor esquecer o estado do sol, porque se todas as geleiras do mundo acabarem derretendo, a Flórida será para sempre submersa com o aumento de 65 metros no nível da água dos oceanos, como resultado.

Esta será provavelmente a mudança mais dramática que acontecerá com o mapa dos Estados Unidos, mas isso não é tudo, no entanto, como todo o litoral atlântico enfrentará algo semelhante, juntamente com a Costa do Golfo. Se você ainda não consegue entender a extensão disso, considere o fato de que todas as cidades costeiras, incluindo Nova York, serão completamente submersas, forçando as pessoas a deixar suas casas para trás.

5. Os ciclos meteorológicos ficarão totalmente bagunçados

Como todo o resto da Terra ficará completamente louca, vamos considerar o tempo por um minuto também. Os ciclos meteorológicos regulares em nosso planeta desempenham um papel muito importante para nossa sobrevivência.

A razão por trás disso é que uma grande parte dos produtos agrícolas trazidos de todo o mundo dependem muito de um clima perfeito. À medida que a temperatura no Ártico aumenta com o derretimento do gelo, o fluxo de jatos através do planeta será severamente afetado. Este fluxo é responsável pela produção de tempestades e outros fenômenos climáticos em todo o mundo. Isso significaria basicamente períodos muito mais longos de qualquer tipo de clima, como tempestades de neve no inverno e ondas de calor intensas no verão, o que resultaria em seca severa.

4. Novas rotas de navios serão criadas

Como todo o planeta estará um caos, novas rotas de transporte serão definidas para conectar o Oceano Atlântico ao Pacífico. Isso provavelmente funcionará para o benefício do comércio global, mas com tudo o que acontece, duvidamos que isso seja muito importante nesse ponto.

Atualmente, os navios de águas abertas devem atravessar os lençóis de gelo durante meses mais quentes em rotas pré-definidas ou com alguns dos maiores navios para gelo. Isso, obviamente, colocaria muito trabalho no ombro da Organização Marítima Internacional, que precisará redigir novos regulamentos para rotas, padrões de embarcações e capacidades de resgate no ecossistema recém-formado.

3. Empresas irão começar a perfurar e procurar petróleo

Aparentemente, algumas pessoas continuarão a lucrar, especialmente todas as companhias de petróleo e gás para as quais este desastre se tornará benéfico.

O que muitas pessoas podem não saber é que em 2015, a Shell decidiu perfurar no Ártico para conseguir um pouco de petróleo, mas depois acabou abandonando suas operações, perdendo bilhões de dólares no processo. Um dos principais motivos foram as restrições regulatórias do governo e o clima de inverno absolutamente duro. É especulado que a região ártica seja o lar de quase 90 bilhões de barris de petróleo. Uma vez que as calotas polares estejam fora do caminho, a perfuração se tornará muito mais fácil e empresas petrolíferas como a Shell poderão ter um lucro alto como resultado.

2. Os dias ficarão um pouco mais longos

Embora alguns dos outros efeitos que aconteçam como resultado do derretimento das geleiras possam ser mais visíveis, este, em particular, não será tão notado.

Steven Dutch, cientista da Universidade de Wisconsin-Green Bay, acredita que, se as nossas calotas polares acabarem derreterendo, elas adicionarão 2/3 de segundo adicionais ao nosso dia normal. Embora a adição de dois terços de segundo não seja um grande problema, ainda é algo muito louco. A razão por trás desse fenômeno seria que todo o gelo derretido redistribuirá a água ao redor do globo, o que acabará afetando a inércia do planeta, diminuindo sua rotação um pouco.

1. A Europa poderá se tornar o novo Polo Norte

Muitas vezes, quando falamos sobre encontrar o Pólo Norte, a melhor maneira é simplesmente viajar para o norte. O único problema aqui é que o pólo norte do nosso planeta está começando a derivar ligeiramente para o leste. Infelizmente, isso é algo que os cientistas já observaram e as mudanças climáticas foram especuladas como a razão por trás disso.

Os pólos geográficos representam essencialmente o eixo de rotação do nosso planeta que pode ser afetado se um grande número de geleiras derretam de repente o que redistribuiria a massa na Terra. À medida que o gelo se torna água em alguma outra parte do mundo, o planeta continuará a mudar seu eixo para o local onde perdeu a massa inicial. Os cálculos feitos por pesquisadores sugerem que, se algo assim acontecesse, a Europa se tornaria o novo pólo norte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s