Bolsonaro vai ao Congresso como presidente eleito e visitará militares à tarde

Fonte: Gustavo Maia/UOL

Bolsonaro acompanha execução do Hino Nacional em evento no Congresso

Bolsonaro acompanha execução do Hino Nacional em evento no Congresso

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), chegou por volta das 9h50 desta terça-feira, 6, ao Congresso Nacional, onde participa de sessão em comemoração aos 30 da Constituição Federal. Participam também da cerimônia os presidentes dos Três Poderes e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. A solenidade teve início por volta das 10h40. Deputado federal, ele exerceu mandato na Câmara nos últimos 28 anos.

Durante o discurso do presidente do Congresso, Eunício Oliveira, que falou sobre a mobilização popular que levou à Assembleia Constituinte, Bolsonaro acenava para colegas no plenário e sorria. Em outro momento, conversou brevemente com o ministro Dias Toffoli, presidente do STF. O magistrado levou a mão sobre a boca para falar com discrição.

Dois de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) circulavam pelo plenário da Câmara, conversando com outros parlamentares e jornalistas. Eduardo brincou que o pai não é muito de seguir protocolo, portanto é possível que ele discurse durante a solenidade, apesar de não haver previsão para que isso ocorra.

Bolsonaro entrou no plenário da Câmara às 10h30 aplaudido por alguns apoiadores. Ele entrou pela entrada lateral do plenário acompanhado de Michel Temer, Eunício Oliveira e Rodrigo Maia, entre outras autoridades.

Antes do evento, a movimentação de autoridades pelo salão verde, o principal da Câmara, era tranquila. Alguns parlamentares, como o senador José Serra (PSDB-SP) e José Guimarães (PT-CE), entraram no plenário pelo salão. Parte do espaço está com a circulação limitada para o tapete vermelho e o posicionamento da imprensa.

Inicialmente, a orientação da segurança era impedir a entrada de jornalistas no plenário, mas a permissão foi dada por volta das 9h30 pelo presidente do Congresso, Eunício Oliveira. Vetar a presença da imprensa no espaço seria uma medida sem precedentes na Casa, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”.

Estavam previstos durante a cerimônia no Congresso os discursos do presidente do Congresso, Eunicio Oliveira, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do presidente Michel Temer, do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli, da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e do presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) João Otávio de Noronha.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) vai apresentar um requerimento para poder falar na sessão como líder do PT.

Reprodução/Twitter/Eunício Oliveira

Bolsonaro posa ao lado de Rodrigo Maia, general Mourão, José Sarney, Michel Temer, Raquel Dodge e Eunício Oliveira

Chegada a Brasília

O jato Legacy da Força Aérea Brasileira (FAB) que transportou Bolsonaro atrasou cerca de 20 minutos no seu deslocamento a partir do Rio de Janeiro.

Na chegada ao terminal da Base, Bolsonaro, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, e outros integrantes de sua equipe foram recepcionados pelo comandante do local, brigadeiro do Ar Ari Soares Mesquita, e pelo general reformado Augusto Heleno Ribeiro, indicado para integrar o novo governo. O presidente eleito conta com a escolta da Polícia Federal e de homens da Polícia Militar.

Em frente à Base Aérea, o clima foi tranquilo. Havia apenas um grupo de jornalistas e 35 agentes do Batalhão de Infantaria da Base, que fazem a segurança do local. Perto dali, a cerca de dois quilômetros da Base, também há um grupo de apoiadores de Bolsonaro – que deverá acompanhar a comitiva do presidente eleito até ao Congresso.

Reprodução/FAB/Twitter

Bolsonaro chega a Brasília em seu 1º voo com a FAB como presidente eleito

Encontro à tarde com militares

Bolsonaro vai se reunir depois do evento com representantes das Forças Armadas. Também deve ter uma série de reuniões com a equipe de transição, nomeada na segunda-feira (5) e que está sob a coordenação do ministro extraordinário Onyx Lorenzoni.

Os jornalistas serão proibidos de entrar no plenário durante cerimônia; terão de ficar nas galerias. De acordo com a assessoria da Casa, o veto teria sido decidido para manter a segurança do local devido ao grande número de convidados.

No local, Bolsonaro se encontrará com os presidentes dos três Poderes. Depois da sessão, conforme a reportagem apurou, o presidente eleito deve se reunir com representantes das Forças Armadas. Bolsonaro quer fazer uma deferência ao setor e dar sinais de que a área terá importância em seu governo, ainda que poderá não ser poupada do ajuste do orçamento.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, que desembarcou com Bolsonaro, reconheceu dificuldades orçamentárias e afirmou que “da forma como está hoje, não há como privilegiar as Forças Armadas”.

Estão previstos encontros separados com o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, e os comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. O encontro reservado com o presidente Michel Temer está marcado para as 16h desta quarta-feira, dia 7. (*Com informações do Estadão Conteúdo)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s