Como serão os megaexercícios militares da Rússia, os maiores desde a Guerra Fria

Fonte:BBC


Tanque T-80 da Rússia, 23 de agosto de 2017 Direito de imagem Getty Images
Image caption Apesar do custo, a Rússia tem intensificado seus exercícios militares

A Rússia deu início a seus maiores exercícios militares desde a Guerra Fria, mobilizando cerca de 300 mil militares no leste da Sibéria.

Batizado de Vostok-2018 (Vostok significa leste), eles contam com a participação da Mongólia e da China, que está enviando 3,2 mil militares, além de veículos e aeronaves.

Os últimos exercícios russos com escala similar foram em 1981, durante a Guerra Fria. Ainda assim, eles envolveram menos tropas do que Vostok-2018, que acontecerá de 11 a 17 de setembro.

Os exercícios acontecem em meio a uma tensão crescente entre a Rússia e a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliança militar com 29 países membros liderada pelos Estados Unidos.

A relação entre as duas partes tem piorado desde que a Rússia anexou a Crimeia, que pertencia à Ucrânia, em 2014.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que os treinos eram justificados, citando atitudes “grossas e agressivas” contra a Rússia.

Como serão os exercícios?

As operações começam na quinta-feira e vão durar cinco dias, segundo o general russo Valery Gerasimov. A terça e a quarta-feira serão dedicados ao planejamento e à preparação.

O ministro de defesa russo diz que 36 mil tanques, militares armados e veículos armados de infantaria, além de mais de mil aeronaves, integrarão o Vostok-2018. Até 80 embarcações navais, de duas frotas russas, também participarão.

Três brigadas de paraquedistas militares russos terão um papel-chave durante os exercícios perto da fronteira com a China e a Mongólia, segundo o canal do Ministério da Defesa, Zvezda.

O canal também diz que o objetivo principal do treinamento é praticar o rápido deslocamento das tropas, aeronaves e veículos do oeste da Rússia às regiões no leste, cruzando milhares de quilômetros. Esse tipo de esforço envolve, por exemplo, o abastecimento de aeronaves no ar.

Presidente russo Vladmir Putin no dia naval de São Petesburgo no mês passado Direito de imagem EPA
Image caption Putin tem feito da modernização militar uma prioridade

A escala do Vostok-2018 é equivalente à das forças empregadas em uma das grandes batalhas da Segunda Guerra Mundial. Uma versão menor desse exercício, com a Rússia e a Bielorrússia, se deu no ano passado.

Quais são as intenções da Rússia?

O presidente Vladimir Putin tem feito da modernização militar do país, incluindo a fabricação de novos mísseis nucleares, uma prioridade de seu governo.

Em uma declaração de apoio à política de investimentos na indústria bélica, o senador russo e oficial da reserva Frants Klintsevich declarou que “convinha para o Oeste que nossas unidades e quartéis não tivessem habilidades de combate e coordenação, mas os tempos mudaram; agora temos uma atitude diferente”.

As forças armadas russas contariam com um milhão de pessoas no total.

Por que a China está envolvida?

Putin encontrou-se recentemente com o líder chinês Xi Jinping na cidade Vladivostok, no leste do país, e disse que eles têm “um relacionamento de confiança na esfera de política, segurança e defesa”.

O Ministério de Defesa da China citou como a cooperação militar entre os países se aprofundou, melhorando a habilidade dos dois de responder juntos a “várias ameaças de segurança”, sem especificar quais.

Em anos recentes, Rússia e China vêm aprofundando a cooperação militar. Durante os exercícios, inclusive, eles usarão o mesmo quartel-general – um contraste com os anos de Guerra Fria, quando a União Soviética e a China eram rivais, disputando a liderança global comunista e com confrontos em sua fronteira oriental.

A Mongólia não deu detalhes de seu envolvimento.

Infantaria naval chinesa e russa, 21 Sep 17 Direito de imagem Getty Images
Image caption A infantaria naval chinesa e russa treinaram juntas no leste da Rússia no ano passado

O ministro de Defesa russo Sergei Shoigu diz que o extremismo islâmico na Ásia Central é a maior ameaça à segurança da Rússia.

Nesse sentido, a China tem acentuado suas ações de repressão para conter o que considera “extremismo religioso” em Xinjiang, no extremo oeste do país, habitado pela minoria muçulmana uighur.

Há anos a região é foco de tensão. A China culpa os militantes islâmicos e separatistas pela intensificação do conflito. Na última semana, a ONU acusou o país de manter cerca de um milhão de muçulmanos uighur presos de forma ilegal na província.

O que a Otan pensa dos exercícios?

Segundo o porta-voz da Otan, Dylan White, a organização foi informada da operação Vostok-2018 e irá monitorá-la.

Ele disse que “todas as nações têm o direito de exercitar suas forças armadas, mas é essencial que isso seja feito de forma transparente e previsível”.

“Vostok demonstra o foco da Rússia em treinar conflitos de larga escala. Isso se encaixa no padrão que temos visto há algum tempo: uma Rússia mais assertiva, aumentando significativamente seu orçamento de defesa e sua presença militar.”

Por que há tensão entre a Rússia e a Otan?

A tensão entre a Rússia e a Otan tem aumentado desde que a Rússia interveio na Ucrânia em 2014, apoiando rebeldes separatistas russos.

A Otan respondeu aumentando a presença de suas forças no leste europeu, enviando 4 mil tropas para os países bálticos.

A reação foi considerada provocativa e injustificada pela Rússia. Ela diz que a revolução ucraniana de 2013 e 2014 – uma resistência à ocupação russa na península da Crimeia – foi um golpe orquestrado pelo “Oeste”, referindo-se aos países do Ocidente.

Em mais capítulo da relação cada vez mais conturbada entre as duas partes, diplomatas russos foram expulsos de países membros da Otan depois que o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia, foram envenenados no sul da Inglaterra em março.

O Reino Unido culpou a inteligência militar russa pelo ataque. Moscou nega envolvimento.

 

PUBLICIDADE

Post

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s