AIEA firma parceria com Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear para treinamento de profissionais

Fonte: nacoesunidas.org

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) assinou nesta semana (18) um acordo de parceria com a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) que irá aumentar as oportunidades de treinamento para profissionais de medicina nuclear na América Latina e no Caribe, assim como nos países africanos de língua portuguesa.

“O Brasil oferece um pano de fundo ideal para o acordo de parceria, pois o país abriga o maior número de centros de medicina nuclear na região da América Latina e Caribe, com várias instalações de última geração relacionadas a todas as áreas da medicina nuclear”, disse a chefe da seção de Medicina Nuclear e Diagnóstico por Imagem da Divisão de Saúde Humana da AIEA, Diana Paez.

O diretor-geral adjunto e chefe do Departamento de Ciências Nucleares e Aplicações da AIEA (à direita), Aldo Malavasi, e o presidente da Sociedade Brasileira de de Medicina Nuclear (SBMN), Juliano Cerci. Foto: AIEA

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) assinou nesta semana (18) um acordo de parceria com a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) que irá aumentar as oportunidades de treinamento para profissionais de medicina nuclear na América Latina e no Caribe, assim como nos países africanos de língua portuguesa.

Enquanto no passado ambas as organizações trabalharam juntas nas áreas de medicina nuclear e imagens moleculares, o acordo — o primeiro do tipo assinado pela AIEA na América Latina — agora definirá e formalizará essa colaboração.

“O Brasil oferece um pano de fundo ideal para o acordo de parceria, pois o país abriga o maior número de centros de medicina nuclear na região da América Latina e Caribe, com várias instalações de última geração relacionadas a todas as áreas da medicina nuclear”, disse a chefe da seção de Medicina Nuclear e Diagnóstico por Imagem da Divisão de Saúde Humana da AIEA, Diana Paez.

“Também oferece uma excelente variedade de programas de treinamento e uma sólida comunidade de especialistas de alto nível”, salientou.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer e as doenças cardiovasculares, ambas classificadas como doenças não transmissíveis (DNTs), estão entre as principais causas de morte no mundo.

De 56,4 milhões de mortes globais em 2015, 17,7 milhões foram atribuídas a doenças cardiovasculares, enquanto 8,8 milhões ocorreram devido ao câncer. Além disso, o número de pacientes afetados está aumentando devido, em parte, ao aumento do tempo de vida, bem como às mudanças no estilo de vida.

A medicina nuclear desempenha um papel importante no cuidado de tais doenças, desde sua detecção precoce, até a fase de tratamento e, posteriormente, no monitoramento das respostas dos pacientes.

A parceria envolverá a colaboração entre as duas organizações na formação complementar de profissionais de medicina nuclear e de imagens moleculares, e aqueles de disciplinas afins, nos Estados-membros da AIEA.

Da esquerda para a direita, Raul Ramirez Garcia, do Departamento de Cooperação Técnica da AIEA; Enrique Estrada-Lobato, da Divisão de Saúde Humana da AIEA; Juliano Cerci, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN); Aldo Malavasi, vice-presidente diretor geral e chefe do Departamento de Ciências Nucleares e Aplicações da AIEA; e Diana Paez, da Divisão de Saúde Humana da AIEA; após a assinatura de um acordo prático formalizando a parceria. Foto: AIEA/D. Calma

Em particular, terá como alvo profissionais da região da América Latina e do Caribe, bem como países africanos de língua portuguesa. Como parte de sua cooperação, a AIEA e a SBMN identificarão centros clínicos ou universidades de alto nível para a formação de profissionais e bolsistas de medicina nuclear.

As organizações também fornecerão conhecimentos especializados e outros apoios relacionados ao treinamento, visando aumentar a capacidade nesse campo. Finalmente, ajudarão na identificação de centros clínicos de alto nível adequados para participação em projetos de pesquisa coordenados pela AIEA.

“O acordo vai construir uma ponte oficial para o caminho da colaboração”, disse Juliano Cerci, presidente da SBMN. “Esperamos fortalecer os campos de pesquisa e aprendizado, mas também questões práticas como regulamentação e educação formal”.

Há mais de 50 anos, a SBMN tem sido uma organização líder no campo da imagiologia molecular e medicina nuclear no Brasil, trabalhando para promover e ampliar o conhecimento, uso e acesso à medicina nuclear no país. Sua missão é promover, apoiar e estimular o progresso, a melhoria e a disseminação da medicina nuclear, bem como ciências e disciplinas relacionadas nos campos científico, ético e econômico.

“A AIEA tem o prazer de formalizar nossa colaboração com a SBMN”, disse o diretor-geral adjunto e chefe do Departamento de Ciências Nucleares e Aplicações da AIEA, Aldo Malavasi.

“Esse acordo prático é o primeiro do tipo na América Latina e no Caribe e reunirá o alcance institucional da AIEA e a expertise da SBMN em medicina nuclear, permitindo melhores oportunidades de treinamento e capacitação em toda a região. A cooperação entre a AIEA e organizações profissionais é essencial para expandir apoio ao trabalho, alcance e impacto da agência.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s