Criminosos chefes do tráfico e da milícia voltam para o estado

Fonte: G1

G1 obtém com exclusividade lista do MP-RJ de 42 presos que estavam em cadeias federais e que, por determinação da Justiça, vão cumprir resto da pena em Bangu.

A Justiça fluminense autorizou a volta a presídios do RJ de chefes de facções e milícias que atuam no estado. O G1 obteve com exclusividade lista com 42 nomes de detentos que estavam em penitenciárias federais e que retornaram ou estão para retornar a cadeias bem mais próximas de seus redutos.

O grupo é acompanhado pelo Ministério Público estadual (veja no fim da reportagem os nomes de todos os criminosos, a quais facções eles pertencem e onde atuam). Todos os 42 nomes listados pelo Ministério Público são considerados chefes do tráfico nas facções que integram ou têm forte influência em bairros e comunidades fluminenses. Eles foram enviados a presídios federais pela Secretaria de Segurança e pelo MP para que, longe do Rio, reduzissem a atuação no estado.

A maioria (33) desses presos pertence à facção criminosa Comando Vermelho. Outros cinco são da quadrilha Amigo dos Amigos (ADA), e três são do Terceiro Comando Puro (TCP). Há, ainda, dois milicianos que, segundo os dados, integram a Liga da Justiça. A ordem é que o grupo cumpra pena no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste da cidade.

Sobre a relação obtida pela equipe de reportagem, o Tribunal de Justiça informou, em nota, que confirma existirem 32 criminosos que voltaram ou estão para retornar ao estado. Foi pedida, mas a Vara de Execuções Penais (VEP) do tribunal não apresentou a listagem com os nomes de presos que receberam permissão para voltar.

Além de confirmar o retorno das mais de três dezenas de bandidos ao estado, o tribunal acrescentou que 63 detentos do sistema prisional do RJ seguem cumprindo pena fora do estado, em unidades federais. É o caso, por exemplo, dos traficantes Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP.

Promotores e policiais ouvidos pelo G1 alegam que o retorno desses 42 criminosos ao Rio representa uma ameaça à segurança pública. A principal preocupação é que, aqui, as facções têm “acesso fácil”, dentro das cadeias, a celulares e podem conversar via aplicativos de mensagens e redes sociais.

Preso que teria usado Facebook em Bangu 3 presta depoimento no Rio (Foto: Reprodução / TV Globo)

Preso que teria usado Facebook em Bangu 3 presta depoimento no Rio (Foto: Reprodução / TV Globo)

 

Também segundo investigadores, o retorno de tantos chefes ao RJ que estavam em unidades federais levou a facção Comando Vermelho a criar, no Rio, uma espécie de “conselho” para cuidar do dia a dia da quadrilha. Isso inclui invasões a comunidades, o comércio de drogas e até ataques a policiais.

Na terça-feira (25), o G1 publicou que o número de criminosos que retornariam era de 35. O total consta em parecer do juiz titular da Vara de Execuções Penais (VEP), Rafael Estrella. O documento, de 4 de junho passado, mostra que o magistrado autorizou o retorno das mais de três dezenas de traficantes e milicianos.

Responsável por ‘caixinha’ volta ao RJ

Entre os nomes daqueles autorizados a retornar ao estado está o traficante Adair Marlon Duarte, o Aldair da Mangueira. Condenado a mais de 60 anos de prisão, Adair, segundo a polícia, integra o Comando Vermelho. Enquanto estava solto, de acordo com investigadores, o bandido sempre teve na facção a função de comandar invasões a favelas dominadas por facções rivais.

Mas as atribuições de Adair iam além. O criminoso também já coordenou a “caixinha” do tráfico, ou seja, a contabilidade da quadrilha. Atualmente, compõem a defesa do traficante 23 advogados, que o visitavam no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná.

O MP está recorrendo da decisão judicial para retorno de Aldair da Mangueira. Além dele, os outros 42 detentos que retornaram são considerados presos de certa relevância na hierarquia das facções criminosas.

Outro que consta na relação é José Benemário de Araújo, condenado a 73 anos de prisão por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado, roubo e formação de quadrilha. Ele e outros criminosos foram transferidos para fora do estado em 22 de julho de 2016, mas voltaram no ano passado.

Traficante Aldair da Mangueira voltará a cumprir pena no RJ (Foto: Divulgação)

Traficante Aldair da Mangueira voltará a cumprir pena no RJ (Foto: Divulgação)

 

A lista de também inclui Leonardo Marques da Silva, conhecido como Sapinho, do Morro da Providência, na região central da cidade. Nos últimos meses, a favela tem sido protagonista de confrontos entre policiais e traficantes.

A volta de condenados, no entanto, não é o único problema. A resposta enviada pelo TJ indica outro fato preocupante em relação aos bandidos. Segundo a nota, dos detentos autorizados a retornar ao RJ, “pelo menos dez não possuem nem denúncia apresentada pelo Ministério Público”, isto é, foram transferidos para presídios federais com base em “suspeitas”.

O traficante Benemário, conhecido como Coroa, foi preso no Paraguai. Ele está condenado a 73 anos de prisão por vários crimes (Foto: Reprodução)

O traficante Benemário, conhecido como Coroa, foi preso no Paraguai. Ele está condenado a 73 anos de prisão por vários crimes (Foto: Reprodução)

O texto do tribunal informa que esses dez que estavam em presídios federais são acusados de comemorar, de dentro de cadeia no Rio, o resgate do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, em junho de 2016.

Condenados por morte de juíza continuam fora

A ausência de fatos novos que comprovassem a necessidade da permanência dos presos em unidades federais foi uma das justificativas apresentadas pelo juiz Rafael Estrella, do Tribunal de Justiça para autorizar a volta dos detentos ao RJ.

“Se limitaram [Ministério Público e Secretaria de Segurança] a juntar aos processos informações antigas, num recorta e cola que se repete ano após ano”, informou a nota enviada pelo TJ ao G1 na segunda-feira (25).

O coronel Cláudio Oliveira e o tenente Daniel Santos Benitez Lopes conversam com seus advogados durante julgamento. Os outros acusados não estão presentes. (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

O coronel Cláudio Oliveira e o tenente Daniel Santos Benitez Lopes conversam com seus advogados durante julgamento. Os outros acusados não estão presentes. (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

 

O argumento do tribunal se referia a traficantes, alguns suspeitos de ordenar mortes de policiais ou de corrompê-los. Porém, no caso dos condenados pela morte da juíza Patrícia Acioli, o entendimento da Vara de Execuções Penais (VEP) foi diferente.

Assassinada em agosto de 2011, a magistrada, que atuava em São Gonçalo, na Região Metropolitana, foi vítima de um grupo de extermínio formado por PMs, segundo as investigações. Entre eles, o tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira e o tenente Daniel Benitez.

Em decisão de 15 de maio, o juiz Rafael Estrella, titular da VEP, considerou que a manutenção dos detentos em unidade federal era um caso de segurança pública.

“Permite a renovação do prazo de permanência por um novo período, acaso permaneçam hígidos os motivos da transferência, qual seja, o interesse coletivo de segurança pública, sem que, necessariamente, tenham ocorridos novos fatos”, escreveu o magistrado.

Em nova resposta, o tribunal informou que o Ministério Público emitiu parecer pela “renovação da prisão do tenente-coronel (Cláudio) e de outros PMs”.

No documento, diz o TJ, houve “outras considerações [para a manutenção da prisão fora do RJ], como o episódio em que a juíza Daniela Assumpção foi agredida durante uma inspeção ao Batalhão Especial Prisional (BEP) em 2015”.

Os criminosos que retornaram ao RJ

  • Adilson Gomes da Hora Júnior, Nico

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Furquim Mendes, Jardim América

  • Claudemir Silva Paixão, o Negão da 12

Retorno: 15/3/2017

Área: Cajueiro, Congonha, Faz Quem Quer e Vaz Lobo

  • Cleverson de Souza Silva, o Trek do Amor

Retorno: 15/3/2017

Área: Lins, Morro do Amor, Árvore Seca, Cachoeira, Cachoeirinha

  • Edson Silva de Souza, o Orelha

Retorno: 15/3/2017

  • Eduardo Luís Paixão, o Duda 2D

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Alemão, Manguinhos e Jacarezinho

  • José Benemário de Araújo, conhecido como Benemário

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Manguinhos, Lins de Vasconcelos, Antares e Cesarão

  • José Ricardo Couto da Silva, o Ricardo Paiol

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Morro do Turano e Itaboraí

  • Leonardo Marques da Silva, o Sapinho

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Morro da Providência

  • Luiz Cláudio Gomes, o Pão com Ovo

Retorno: 15/3/2017

Área de atuação: Nova Brasília, Fonseca

  • Ocimar Nunes Robert, conhecido como Barbosinha

Retorno: 15/3/2017

Área: Complexo do Turano

  • Wallace Batista Soalheiro, o Pixote

Retorno: 15/3/2017

Área: Complexo da Coruja, em São Gonçalo

  • Mauri Alves Ribeiro Filho, o Coco

Retorno: 15/3/2017

Área: Baixada Fluminense (Comendador Soares, Nilópolis e Nova Iguaçu)

  • Celso Luiz Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém

Retorno: 9/5/2017

Área: Vila Vintém, Minha Deusa, Cosme e Damião, Setenta e Sete

  • Sérgio da Costa Brum, o Trajano

Retorno: 11/5/2017

Área: Morro do Dezoito, Morro do Céu, Camarista Méier

  • Márcio Candido da Silva, o Porca Russa

Retorno: 24/5/2017

Área: Complexo de Manguinhos, Vigário Geral e Favela do Dique

  • Leonardo Carlos da Silva, o Leo da Kelson

Retorno: 13/7/2017

Área: Favela Kelson’s

  • Wilson Ferreira Cardozo, o Bacalhau

Retorno: 13/7/2017

Área: Providência

  • Marcelo da Silva Soares, o Macarrão

Retorno: 13/7/2017

Área de atuação: Complexo do Alemão, Complexo da Penha, Antares e Vila Kennedy

  • Marcelo Fonseca de Souza, o Marcelo Xará

Retorno: 10/8/2017

Área de atuação: Complexo de Manguinhos, Jacarezinho

  • Márcio Gomes Medeiros Roque, o Marcinho do Turano

Retorno: 10/8/2017

Área de atuação: Morro da Mineira, Paula Ramos, Turano

  • Luiz Carlos Santino Rocha, o Playboy ou Lord

Retorno: 30/8/2017

Área de atuação: Complexo do Alemão (Fazendinha), Manguinhos, Mangueira

  • Wilton Carlos Quintanilha, o Abelha

Retorno: 11/9/2017

Área de atuação: Complexo do Alemão, Mandela e Santo Amaro

  • Bruno Maxwell dos Santos Afonso, o Chapoca

Retorno: 12/9/2017

Área de atuação: Não definido

  • Paulo Rogério de Souza Paz, o Mica

Retorno: 29/9/2017

Área de atuação: Complexo do Alemão e da Penha

  • Edilson Lourenço de Azevedo, o Caroço

Retorno: 29/9/2017

Área de atuação: Manguinhos e Jacarezinho

  • Thiago de Souza Cherú, o Dorei

Retorno: 3/10/2017

Área de atuação: Manguinhos e Jacarezinho

  • Marcelo da Silva Guilherme, o Marcelinho dos Prazeres

Retorno: 3/10/2017

Área de atuação: Santo Amaro, Prazeres e Escondidinho

  • André Luiz Malvar

Retorno: 24/10/2017

Área de atuação: Zona Oeste do Rio

  • Jerônimo Guimarães Filho

Retorno: 4/12/2017

Área de atuação: Zona Oeste

  • Marcelo Tavares da Silva, o Abóbora

Retorno: 23/11/2017

Área de atuação: Manguinhos, Jacarezinho, Varginha

  • Valquir Garcia dos Santos, o Carré

Retorno: 13/12/2017

Área de atuação: Morro da Coroa e Morro São Carlos

  • Nei da Conceição Cruz, o Facão

Retorno: 19/1/2018

Área de atuação: Complexo da Maré

  • Márcio José Guimarães, o Tchaca

Retorno: 19/1/2018

Área de atuação: Morro da Matriz, São João, Jorge Turco

  • Luiz Cláudio Serrat Correia, o Claudinho CL

Retorno: 15/2/2018

Área de atuação: Morro da Mineira, Morro Dona Marta, Jorge Turco

  • Willian Rodrigues Vieira, o Robocop

Retorno: 2/3/2018

Área de atuação: Morro do Borel

  • Tiago Rangel da Fonseca, o TH

Retorno: 11/4/2018

Área de atuação: Jardim Catarina (SG)

  • Bruno Coutinho, o Brunaldo

Retorno: 11/4/2018

Área de atuação: Chumbada e Morro do Menino Deus, em São Gonçalo

  • Luiz Paulo Gomes Jardim, o Paulinho Madureira

Retorno: 11/4/2018

Área de atuação: Buraco do Boi e Menino Deus, em São Gonçalo

  • Anderson da Sivla Verdan, o Bamba

Retorno: 8/5/3018

Área de atuação: Comunidade Para Pedro e Morro do Urubu

  • Carlos Vinícius Lírio da Silva, o Cabeça de Sabão

Retorno: 10/5/2018

Área de atuação: Morro do Sabão

  • Lindomar de Oliveira Brant, o Dodo

Retorno: 14/5/2018

Área de atuação: Complexo das Retas, em Itaboraí

  • Amabílio Gomes Filho, o MB

Retorno: 22/5/2018

Área de atuação: Complexo da Maré.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s