Campanha em homenagem às forças de paz da ONU é lançada no Rio

fonte: nacoesunidas.org

a última terça-feira, 19, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) lançou no Rio de Janeiro a campanha ‘Serviço e Sacrifício’, uma iniciativa para homenagear os pacificadores que servem nas missões da ONU.

O evento de lançamento, organizado pelo UNIC Rio em parceria com o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) e com a Rede Brasileira de Pesquisa sobre Operações de Paz (REBRAPAZ), contou com um painel de discussão com o tema “Serviço e Sacrifício: riscos inerentes ao trabalho em contextos instáveis”.

“A campanha ‘Serviço e Sacrifício’ quer justamente agradecer aos militares, às suas famílias, em memória daqueles que perderam suas vidas e aos países que contribuem com as tropas e, neste caso, especialmente ao Brasil”, disse Maurizio Giuliano, diretor do UNIC Rio.

Desde 1948, mais de 1 milhão de homens e mulheres serviram nas forças de paz da ONU, protegendo milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade pelo mundo. Os sacrifícios enfrentados pelos pacificadores, contudo, são imensos.

Ao longo desses 70 anos, mais de 3,5 mil pessoas perderam suas vidas servindo em missões de paz. Durante os últimos 5 anos, houve quase 200 mortes em ataques violentos, mais do que em qualquer outro período de cinco anos na história da ONU.

“O sacrifício com a própria vida é realmente o mais importante, mas deve-se também chamar atenção para um sacrifício mais silencioso, de médio a longo prazo, referente aos riscos diários e medos constantes que homens e mulheres sofrem quando estão no terreno”, disse Eduarda Hamann, pesquisadora do Instituto Igarapé.

Em 2015, o Painel Independente de Alto Nível sobre Operações de Paz entregou ao secretário-geral um relatório que indicava, entre outros pontos, meios de diminuir as baixas nas missões.

“Tudo começa pela identificação da área de operações, suas demandas e seus riscos. Essa é uma responsabilidade da ONU. Os países contribuintes de tropas têm responsabilidades voltadas principalmente para a capacitação de seu pessoal”, disse o general Floriano Peixoto, comandante militar da Missão da ONU no Haiti entre 2009 e 2010 e integrante do painel.

Homenagem

Durante o evento, o tenente-coronel Carlos Rocha foi homenageado com a medalha da cidadania concedida pelo Instituto Interamericano de Fomento à Educação, Cultura e Ciência (IFEC).

O militar foi ferido no dia 1º de maio, durante um confronto em Bangui, a capital da República Centro-Africana.

“Eu tive a missão abreviada. Meu objetivo era retornar, mas não será possível por questões médicas e administrativas. Caso eu seja selecionado novamente pelo Exército brasileiro, seria uma honra retornar e participar novamente de uma missão de paz”, disse o tenente-coronel Rocha.

Acesse a campanha nas redes sociais da ONU no Brasil e na página https://nacoesunidas.org/servicosacrificio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s