SEGURANÇA URBANA – Algumas regras para continuar vivo caso ser vítima da violência

Quero compartilhar com todos tudo aquilo que recebi tanto de treinamento teórico, prático como no dia a dia quando estive à frente da gestão da segurança patrimonial e urbana de empresa no polo industrial com população no mesmo nível que muitos municípios de nosso País. A população da empresa era acima de 10 mil habitantes, e tínhamos três grandes equipes para atuar na segurança patrimonial e urbana sendo, duas terceirizadas com uma equipe de 50 seguranças e uma própria com uma equipe de 20 seguranças dos quais 12 formavam a Tropa de Elite que recebia treinamento da SWAT dos Estados Unidos e da BLACK WATER empresa nacional e, principalmente de uma das melhores empresas no Brasil que é a Galvão de França com sede em São Paulo, especializada em simulados de violência urbana, direção evasiva em blindados e direção defensiva, preparação quanto aos “modus operandi” em diversas situações para prevenção da segurança contra a violência urbana.

A segurança pessoal preventiva deve ser praticada por todo cidadão de bem para buscar a redução dos riscos desnecessários, evitando assim, que culminem em ações marginais contra a nossa vontade. Para se ter uma ideia aqui seguem dados com base num exemplo estatístico do perfil de vítimas de sequestro: 53% são empresários e executivos; 29% são filhos e esposas; 15% são comerciantes; 2% são políticos; e 1% são médicos, obviamente esses percentuais aumentam exponencialmente quando consideramos o universo dos demais crimes além de sequestro.

AQUI VÃO AS REGRAS

1.      Sobre o bandido: Ele não quer ser exposto; sempre faz uma seleção das vítimas; sempre irá escolher o mais fácil, ou seja, o mais despreparado; durante um assalto o bandido está nervoso e com medo; reagir é uma atitude de altíssimo risco;

 

2.      Nada é 100% garantido quando o assunto é segurança: 90% é prevenção, 5% é reação e 5% é sorte. A prevenção representa 90% em segurança. Dessa forma, as ações devem se concentrar nessa etapa;

 

3.      Como se prevenir em caixas eletrônicos:

 

3.1.  Procure ir ao caixa eletrônico acompanhado e leve somente o cartão que vai utilizar;

3.2.  Antes de iniciar a transação, verifique na tela se o equipamento está ativo ou inoperante. Caso esteja inoperante, não insira seu cartão. Se o caixa eletrônico ou o equipamento do banco no comércio estiver inoperante, não aceite a oferta de estranhos de passar seu cartão em terminal avulso, mesmo que eles se apresentem como funcionários do banco. Fraudadores têm utilizado esse golpe para “clonar” (copiar os dados) de cartões e obter senhas; verifique também se o caixa eletrônico está com alguma peça solta ou encaixada de forma suspeita;

3.3.  Ao digitar sua senha, mantenha o corpo próximo à máquina, para evitar que outros possam vê-la ou descobri-la pelo movimento de seus dedos no teclado. As pessoas atrás de você devem respeitar as faixas de segurança; verifique também se na parte superior do caixa eletrônico existe alguma micro câmera instalada na direção do teclado onde você irá digitar sua senha;

3.4. Fora dos horários comerciais, prefira utilizar os caixas automáticos instalados em locais de grande movimentação e, se possível, em ambientes internos (shoppings, lojas de conveniência, postos de gasolina etc);

3.5. Sempre que possível, faça seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Quando precisar realmente sacar dinheiro à noite, leve um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila.

3.6.  Nunca aceite ou solicite ajuda de estranhos, mesmo que não lhe pareçam suspeitos;

3.7.  Se alguém está demorando demasiadamente antes de sua vez, pode ser uma suspeita que alguém está tentando instalar um “chupa-cabra” termo usado para dispositivos que copiam os dados de seu cartão;

3.8.  Verifique se há algum veículo parado perto do caixa eletrônico, pode ser uma suspeita de que alguém está monitorando o local.

 

4.        Como se prevenir – Filhos e a Escola:

4.1. Aconselhe seu filho a avisá-lo sempre que sair para brincar. Oriente seu filho a não se afastar muito de casa. Deixe sempre seu endereço, telefone para contato e com um documento de identificação de seu filho, junto com seu filho;

4.2. Converse com seu filho sobre os riscos de transitar em locais isolados e à noite. Aconselhe-o a estar sempre acompanhado de um amigo em percursos longos. Trate o seu filho como amigo, demonstrando seu afeto e preocupação pelo seu desenvolvimento;

4.3. Conheça os amigos de seu filho. Ensine as crianças a pedir auxílio à polícia (pessoalmente ou por telefone) ou a pessoas conhecidas, quando houver estranhos em atitudes suspeitas ou que as estejam molestando. Oriente seus filhos para não desviarem do trajeto casa—escola—casa, sem prévio acordo;

4.4. É melhor evitar usar joias, tênis ou roupas caras. Ensine-os a se afastar de situações perigosas, como: armas, acidentes, aglomerações, discussões, brigas de rua etc. Ensine as crianças a evitar envolver-se em brigas. Leve seus filhos à escola pessoalmente ou autorize alguém de sua inteira confiança. Se não for possível, oriente-os a andar em companhia de amigos e a evitar fazer “rodinhas” na porta da escola;

4.5. Oriente seus filhos a não conversar com estranhos, fora ou dentro da escola, e a não entrar em carros de desconhecidos, sob o pretexto de carona ou convite para passeio. E também a recusar outros convites, como entrar em alguma casa, terreno ou garagem. Alerte-as para pedir ajuda a um policial.

 

5.        Como se prevenir – Andando nas ruas:

5.1. Evite usar joias, relógios, roupas e outros objetos que possam demonstrar ser de valor. Não carregue objetos de valor, todos os seus documentos, grandes quantias em dinheiro ou cartões de crédito, se não houver necessidade. Se for preciso, procure estar acompanhado, divida o dinheiro em várias artes da roupa e siga diretamente para o seu destino. Nunca demonstre que está procurando um endereço. Procure andar acompanhado;

5.2. Evite locais desertos ou pouco iluminados. Em ruas escuras ou desertas, evite dobrar a esquina junto a construções, prefira o centro da rua. Sempre que possível, faça seus pagamentos com cheques nominais e cruzados. Procure variar seus horários e fazer rotas diferentes para deslocar-se de casa ao trabalho ou escola. Procure andar rápido. Mantenha sua bolsa ou pasta à sua frente. Procure mantê-la sempre firme entre o braço e o corpo, com a mão sobre o fecho e posicionada do lado da calçada. Não use bolsos traseiros para carregar carteira ou dinheiro;

5.3. Caminhe no centro da calçada e contra o sentido do trânsito, para poder perceber a aproximação de algum veículo suspeito. Atravesse a rua a qualquer sinal de perigo. Fique atento quando parar no semáforo para pedestres. Telefone celular, computadores portáteis (notebooks e similares) devem ser transportados discretamente. Evite as típicas maletas para notebooks. Faça seguro dos equipamentos. Se você notar que está sendo seguido, aja com naturalidade, entre em qualquer lugar público e ligue para a Polícia Militar (tel. 190). Não use locais isolados para namorar;

5.4. Separe previamente pequenas quantias de dinheiro para despesas como café, cigarro e transporte. Antes de entrar em casa verifique se não há algum suspeito por perto. Oriente seus filhos para irem e voltarem da escola em grupos. Se puder, leve seus filhos à escola ou peça isso a pessoas de sua absoluta confiança. Antes de ir à praia ou locais de grande concentração de pessoas, ponha um papel no bolso da criança, com nome, endereço, telefone, tipo sanguíneo e possíveis sensibilidades a medicamentos.

 

6.        Como se prevenir – As crianças:

6.1. Não converse com estranhos. Não aceite presentes, doces ou refrigerantes de pessoas que você não conhece. Fale claro que você não quer e se afaste delas. Procure não andar sozinho, tente sempre a companhia de seus amigos e se sentir medo ligue para a polícia e explique seu problema;

6.2. Quando estiver esperando condução para ir à escola ou para voltar para casa, evite os pontos de parada em locais escuros e sem movimento. Não acredite em estranhos que digam trazer recado de seus familiares. Peça a uma pessoa amiga que confirme o que estão dizendo. Se for seguido por estranhos na rua, entre na primeira casa habitada e peça socorro. Se alguém o atacar, tentando agarrá-lo, esperneie e grite bem alto, muitas vezes, pedindo ajuda;

6.3. Não aceite caronas de motoristas desconhecidos e, se algum deles lhe chamar, não dê atenção e nunca se aproxime do veículo. Quando estiver desacompanhado e alguém o incomodar, querendo pôr a mão em seu corpo, grite bastante para chamar a atenção de outras pessoas que estejam por perto;

6.4. Se você ainda não consegue guardar na memória o seu endereço ou o telefone de sua casa, peça a alguém de sua família que os escreva em um cartão e carregue-o sempre com você. Quando precisar de ajuda, procure um policial. Você receberá apoio e orientação. Se outras crianças o agredirem para roubar, não resista e entregue o que pedirem. Assim que puder peça ajuda à polícia.

 

7.        Como se prevenir – de assaltos:

7.1. Tenha uma postura proativa, evite atitudes de perseguição, mas esteja atento, pois os ladrões preferem escolher vítimas que estejam distraídas. Preste atenção em pessoas paradas perto dos lugares que frequenta. Se você beber, faça-o moderadamente, para não perder os reflexos e a vigilância;

7.2. Não ande armado nem tenha armas em sua casa. Mesmo que você saiba atirar e tenha porte de arma, suas chances de reagir são muito pequenas, e o risco de que a arma seja usada contra você mesmo é muito grande.

8.        O que fazer se algo acontecer:

8.1. Em hipótese alguma tente reagir ou fugir. Faça apenas o que o criminoso mandar. Fale somente para responder a perguntas e para avisar antes de fazer qualquer gesto, como pegar uma carteira, por exemplo. Não faça movimentos bruscos;

8.2. Não conte com a ajuda de outras pessoas nesse momento. Não espere ponderação e bom senso de um assaltante. Se possível, tente memorizar a fisionomia do agressor, para o retrato falado, mas lembre-se sempre de não o encarar. Tente não demonstrar insegurança, nem confiança excessiva. Procure manter a calma diante de uma arma, mesmo que isso pareça difícil. O bandido está sempre mais nervoso do que a vítima, mas em geral, não tem a intenção de matar;

8.3. Entregue ao criminoso o que ele exigir. Assim, o tempo do roubo será menor. Tenha consciência de que há a possibilidade de existir outra pessoa dando cobertura ao crime. Assim que o criminoso deixar o local, avise a Polícia, o mais rápido possível, relatando o que aconteceu. Registre a ocorrência em uma Delegacia de Polícia. Se você presenciar um assalto, mantenha-se afastado do local e evite interferir para não colocar em risco sua vida. Ligue para a polícia e repasse as informações possíveis. Após a saída do agressor, procure ajudar a vítima.

9.        Em geral todo assalto conta com determinada sequência:

9.1. Pré-eleição do alvo – Essa fase pode levar meses, dias ou apenas alguns segundos. É a fase em que o bandido irá escolher quem abordar (levantamento);

9.2. Identificação do alvo – O alvo foi escolhido, geralmente o mais fraco, mais distraído ou com base no que o bandido procura (foco da investida);

9.3. Vigilância (*) – Período em que o bandido avalia toda a situação antes do ataque (monitoramento);

9.4. Planejamento – O bandido já tem tudo o que precisa, agora ele planeja como será o ataque (dia, hora, local, forma de abordagem, arma, etc);

9.5. Ataque (**) – O bandido faz a abordagem. Nessa fase já não há como fazer prevenção. Menos de 5% de êxito nas ações de interrupção.

(*) – Melhor momento para interromper a ação do bandido (ligue para 190);

(**) – Pior momento para interromper a ação do bandido.

Nota 1 – Dentro de um raio de 20 metros é a distância ideal para mantermos entre nós e um possível suspeito, isto é, no caso de suspeitarmos de alguma movimentação estranha que tenha relação conosco. Por exemplo: saída de supermercado, aproximação de estacionamentos, de condomínio e etc;

Nota 2 – As mulheres devem atentar para as distâncias em que algum estranho tente se aproximar: a distância de 45 cm, ter em mente que é considerada íntima; 1,20 m considerada pessoal; 3,60 m considerada social e, acima disso é considerada pública.

 

 

10.    Dicas de segurança para as mulheres:

10.1. Seja no trânsito, ao caminhar pelas ruas, falar ao telefone ou em outras atividades, mulheres e homens têm ações e reações diferentes uns dos outros. Em razão destas diferenciações e como muitos marginais preferem atacar vítimas do sexo feminino, algumas orientações de segurança, embora válidas para ambos os sexos, mereçam um destaque especial, quando o assunto é a segurança da mulher;

10.2. No trânsito: mantenha celulares, laptops, bolsa e carteiras longe da visão dos que estão fora do veículo; conserve o menor número de itens dentro da bolsa como, fotos da família pois isso reduz eventuais riscos ou preocupações futuras; utilize película protetora em seu carro pois dificulta a visibilidade do interior do veículo;

10.3. Ao caminhar pelas ruas: Detectando situação estranha mantenha distância da suposta fonte de risco, atravesse a via, mude de direção ou pare em local seguro, por exemplo numa loja. Fique atenta a seus pertences quando estiver em estabelecimentos comerciais e ao abrir a carteira não deixe à mostra dinheiro e cartões de crédito;

10.4. Falando ao telefone: Use sempre a razão, responda uma pergunta com outra; exemplo: Quem está falando? Resposta: Com quem gostaria de falar?; evite comentários sobre sua vida particular e, cuidado com ligações “a cobrar” pois na maioria dos casos esse tipo de ação representa um possível trote.

 

11.    Mais algumas dicas para prevenir e evitar possível abordagem (trabalhando na prevenção):

 

11.1. Caminhando: Observe o que acontece ao redor (atenção 360 graus); mantenha sempre 20 metros de distância de um suspeito e observe as mãos dele geralmente escondidas nos bolsos e sempre movimentando as pernas e inquieto; se tiver que gritar não use “socorro” pois as pessoas por perto tentarão correr e recuar, pois fica claro que se trata de perigo. Grite o nome de alguém como “PAULO!!!”. O bandido achará isso incomum e pensará haver mais pessoas com a vítima; mude de calçada e observe o comportamento do suspeito; nunca demonstre estar procurando um endereço; use óculos escuros, ande rápido e no centro da calçada e, se puder contra o sentido do trânsito para perceber alguns veículos suspeitos e mantenha a bolsa na frente do corpo;

11.2. Fazendo exercício: Não use fones de ouvido ou algo que distraia sua atenção; mantenha-se distante de carros estacionados, arbustos e áreas mal iluminadas; não pare para dar informações e nem se aproxime de carros. Indique um posto policial se sentir que deve responder e faça isso em movimento;

11.3. Alguém seguindo: Se notar algum suspeito, entre numa loja pouco comum se houver (homens em lojas de lingerie e mulheres em lojas de pesca); se o suspeito entrar ou ficar do lado de fora, é provável que você esteja sendo seguido;

11.4. Nas compras: Evite carregar muitos pacotes ou sacolas, para não ter as duas mãos ocupadas; sacolas de compras devem ser carregadas junto ao corpo e do lado de dentro das calçadas; estacione seu veículo se possível em local que ao sair da loja, shopping ou supermercado, dê uma paradinha na porta e observe na direção onde está seu veículo, se perceber algum ou alguns suspeitos próximo ao veículo, pare, retorne para dentro do local das compras e aguarde, se perdurar a suspeita contate a segurança do empreendimento;

11.5. Pegando táxi ou ônibus: Use somente serviços de taxi dos pontos ou cooperativas cadastradas, ou de serviços personalizados em que você agenda via aplicativo do celular; grave sempre ao entrar o prefixo do taxi, em caso de rádio taxi já tomamos conhecimento do prefixo antes da chegada do taxi através do celular; no ônibus, se estiver vazio sente próximo ao motorista e separe o valor da passagem antes de embarcar;

11.6. Abastecendo no posto: Evite ir a noite; observe, antes de entrar, se há movimentação estranha, como funcionários parados e nervosos; se desconfiar de algo não entre;

11.7. No estacionamento: O carro não deve conter adesivos que identifiquem onde você mora, trabalha, estuda ou faz ginástica; nunca fique dentro do carro estacionado; ao entrar no veículo, dê a partida e só então ponha o cinto, ajuste o rádio e etc; nunca se aproxime ao surpreender alguém mexendo no seu carro; se ao retornar ao carro você perceber um “defeito” que impeça o motor funcionar, chame o socorro de sua confiança, pois alguém pode ter criado para “ajudar” você a se tornar uma possível vítima;

11.8. Dirigindo: Ocorrendo uma “batidinha” leve na traseira do seu carro, observe pelo retrovisor as pessoas que estão no veículo de trás; se desconfiar não pare; sinalize para que o motorista o siga para um local movimentado; se a intenção era assaltar, a pessoa não vai seguir; se isso ocorrer a noite, não pare; por mais desumano que pareça, não pare para ajudar alguém a noite ou em locais de pouco movimento; telefone para 190 e informe o local onde está a pessoa que necessita de ajuda; não deixe de ajudar, mas não pare; ao passar por lombada, verifique, antes de reduzir a marcha, se há pessoas estranhas e deixe distância suficiente do veículo à frente para poder desviar caso ele pare para bloquear o seu caminho;

11.9. Parado no semáforo: A faixa central é a mais segura, pois o bandido ataca pelas calçadas ou pelo canteiro central; as primeiras fileiras são visadas para roubo de carro e as últimas para furto de objetos; evite compras no semáforo, mesmo que o vendedor não seja ladrão, você se distrai abre o vidro e se expõe; se suspeitar de algo, fique “colado” na lateral do carro à esquerda, não deixando espaços para abordagens;

11.10. Em férias: Não comente com estranhos sobre seu período de ausência; reforce a tranca de janelas e portas e desligue os registros de água e gás; redirecione as chamadas telefônicas de sua residência para um outro número; suspenda a entrega de correspondências e o recebimento de jornais na portaria do condomínio; a utilização de um sistema simples de alarme é recomendada;

11.11. Em casa: Ao contratar empregados, peça referências e conheça os vizinhos;

11.12. No condomínio: Na hora de tirar o lixo as outras entradas devem estar fechadas; portarias devem ter comunicação com prédios vizinhos; ao se aproximar da portaria do condomínio dirigindo veículos, a uma certa distância segura recomenda-se fazer uma reduzida ou parada se for seguro parar e observar a essa distância alguma movimentação estranha e se perceber suspeita de algo em risco, não aproxime, retorne e faças as ligações necessárias primeiramente para tirar dúvidas e se for o caso de confirmação de evento criminoso ligue para 190; o síndico deve: priorizar os assuntos de segurança nas assembleias; manter atualizado o cadastro de moradores e funcionários, controlando o acesso; ter antecedentes dos funcionários fiscalizando de perto suas condutas. Os condôminos devem: colaborar com as regras internas de segurança, extensivo a seus familiares; participe e coloque na pauta da reunião temas para melhoria da segurança; evite comentar no condomínio sobre plano de viagens, patrimônio e ganhos pessoais. Os funcionários devem: identificar todos os veículos e pessoas que adentrem ao condomínio; não se afastar de seu posto de trabalho e estar atento às pessoas estranhas; e apresente ao síndico sugestões para melhoria da segurança;

11.13. Com dinheiro: Se tiver que carregar muito, guarde de modo discreto e seguro; separe previamente o necessário para pagar contas ou despesas;

11.14. Contratando empresa de segurança: se o CNPJ está cadastrado na Receita Federal; se tem endereço fixo, Skype e atendimento online; se tem telefone fixo para contato; se o site tem mais de dois anos no ar no nome da empresa; se oferecem trabalhos prontos; se seus preços são muito baixos.

 

12.    Os 5 NÃOS:

12.1. NUNCA REAJA;

12.2. ANUNCIADO O ASSALTO, NÃO TENTE FUGIR;

12.3. NÃO PROLONGUE O TEMPO DO CRIME;

12.4. NÃO REALIZE MOVIMENTOS BRUSCOS;

12.5. NÃO PORTE ARMA DE FOGO.

 

13.    Mais dicas de prevenção:

13.1. Valorize a vida: Releve provocações no trânsito, em bares ou boates. Isso é sinal de inteligência e não de covardia. NÃO HÁ NADA MAIS VALIOSO QUE A VIDA;

13.2. Você sabia que: Durante um assalto o bandido está nervoso e com medo; REAGIR É UMA ATITUDE DE ALTÍSSIMO RISCO; durante um assalto, não transmita raiva e nem sentimento de vingança; nunca crie situações que façam o bandido sentir que está perdendo o controle; o objetivo principal: É SOBREVIVER AO ASSALTO; muitos dos crimes poderiam ser evitados se olhássemos mais o que cada situação está tentando nos dizer;

 

14.    Dicas de segurança usando a Internet para relacionamentos:

14.1. Só marque encontro com quem você já fala há algum tempo; nada de marcar encontro quando acaba de conhecer; “quanto menos você conversa, menos você conhece sobre a pessoa; até porque num primeiro momento é fácil ser legal e convincente; mas é necessário um tempo para saber se a pessoa está realmente interessada; tenha paciência”;

14.2. Veja a pessoa pelo webcam não só para saber se ela é atraente, mas para ver se ela existe mesmo; fotos podem não ser confiáveis;

14.3. Peça o telefone fixo da pessoa, pois só assim você pode saber como encontrá-la caso algo de errado aconteça; celular é fácil desligar, mudar de número, de chip; tenha alguma rede social da pessoa, assim você pode ter mais informações, acompanhar interações e ver amigos;

14.4. Verifique também se o perfil não é falso; “é raro encontrar quem realmente não tenha perfil em nenhuma rede, mas, se esse for realmente o caso, tente buscar pelo nome da pessoa na Internet, nem que seja o currículo lattes usado para fins profissionais;

14.5. Contem para alguém sobre seu encontro para que ela saiba o que fazer caso algo não saia como imaginado; marque sempre o encontro em um lugar público; nada de aceitar convites para vir buscar ou deixar em casa principalmente para o caso de mulheres e, para não ficar chato no caso de recusar a carona, fale que prefere encontrar direto no shopping, por exemplo, porque tem que fazer umas coisas lá perto antes ou algo do tipo; ainda para o caso das mulheres, durante o encontro, prefira as bebidas enlatadas e comidas que não ficaram somente com o novo amigo antes de você chegar; pode parecer neurose, e pode até ser mesmo, mas infelizmente há muitos casos de golpes e não custa nada se precaver;

 

15.    Literaturas sugeridas e muito boas para ser lida sobre como se proteger da violência urbana:

 

15.1. VOCÊ NA MIRA DO CRIME – Dicas de segurança pessoal – Como se proteger da violência do dia a dia – Jonas Pereira França – Editora Ciência Moderna;

15.2. COLEÇÃO GESTÃO DE RISCOS – Segurança Pessoal – Dicas de Segurança – Hélio Santiago Vaitsman – Editora Sicurezza.

 

A segurança preventiva deve ser planejada e praticada por todos os integrantes das famílias, das empresas e comunidades, para que tenham em mente o que fazer, quando em situações de perigo iminente ou fato consumado. O fator inibidor será de suma importância, sempre.

A nossa Carta Magna, isto é, a nossa Constituição Nacional cita: “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, …”

No seu Art. 144. “A segurança pública, é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:

I – Polícia federal;

II – Polícia rodoviária federal;

III – Polícias civis;

IV – Polícias militares e corpos de bombeiros militares. ”

De forma tradicional Segurança é problema de polícia e não do cidadão. Por certo, é sim, um dever do Estado, mas passou a ser também compartilhada com todos os cidadãos, por isso deve-se investir em prevenção sempre e não somente ficar dependente da atuação policial; existe um MANUAL DE SEGURANÇA DO CIDADÃO disponibilizado na rede social e pela polícia do Estado de São Paulo http://www.ssp.sp.gov.br/media/documents/ssp_manual-seguranca.pdf. Para o Estado do Amazonas pode ser verificado no site policiacivildoamazonas.blogspot.com/p/dicas-de-seguranca.html

A segurança deve começar pelas próprias pessoas (prevenção primária), pois investir em segurança é investir em qualidade de vida, não pode ser vista como incômodo. As dicas que aqui estão descritas são de conhecimento de todos, mas acabamos por não as colocar em prática ou até mesmo por imaginar que não irá acontecer conosco.

Precisamos lembrar que segurança é acima de tudo qualidade de vida. Portanto é imprescindível que seja sempre preventivo e não reativo. Valorize a vida sempre, ela é seu maior patrimônio.

 

ESTE É UM ASSUNTO QUE NÃO ENCERRA AQUI, POIS SEMPRE CONTINUA! UMA VEZ QUE, SEGURANÇA NUNCA TERÁ UMA AÇÃO DEFINITIVA PORQUE É UMA LUTA CONTÍNUA…

Obrigado pela atenção, é muito importante atentar para todos esses tópicos aqui comentados de forma resumida e clara, para termos em mente o que podemos fazer, antes que ocorra o que não queremos que ocorra. Contudo, se ocorrer, não se esqueça nunca! Assuma a posição de rendição, como já dissemos, A VIDA É O MAIS PRECIOSO DOS BENS QUE O CRIADOR NOS PERMITIU. Ah! Ia esquecendo de falar como seria a posição de rendição. Faça assim: Permaneça de pé, curve a cabeça um pouco para baixo e estenda os braços para baixo com as palmas das mãos um pouco viradas para frente. Isto é, somente olhe para o bandido se ele falar com você pedindo para você prestar atenção para ele, nesses momentos de flash procure memorizar o rosto dele, claro se ele estiver de cara limpa como se diz no popular, fora isso, retorne e continue na posição de rendição. É sem dúvida momentos humilhantes e dolorosos, mas REAGIR JAMAIS, a finalidade é SALVAR AS NOSSAS VIDAS.

Homenagem especial: Dedico esse artigo em homenagem “in memorian” ao meu filho Petterson de Carvalho Horta Campos, o qual faria 38 anos no dia 21 de fevereiro próximo, mas que teve sua vida ceifada há oito meses atrás, no início do melhor momento de sua carreira profissional, em decorrência da violência urbana em um assalto no qual não lhe foi dada a oportunidade de sair incólume. Que o Criador lhe conceda a oportunidade da paz e evolução espiritual. Que Assim Seja.

Josué Castro Campos

ENGº CIVIL; TECNÓLOGO MECÂNICO E INDUSTRIAL E ESPECIALISTA EM GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE.

SeguirJosué Castro Campos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s